Home » Notícias da Diocese » Seis novos diáconos permanentes serão ordenados neste sábado, 5, para a Diocese de Macapá

Seis novos diáconos permanentes serão ordenados neste sábado, 5, para a Diocese de Macapá

Os candidatos são oriundos de comunidades paroquiais de Macapá, Porto Grande e Santana

Dom Pedro Conti e os futuros diáconos durante instituição dos Ministérios de Leitor e Acolito em Outubro de 2020 | Fotos: Willian Valério (Pascom)

| MACAPÁ (AP) |Por Jefferson Souza (Pascom)

O bispo diocesano de Macapá, dom Pedro José Conti, preside no próximo sábado, 5, a santa missa com rito para a ordenação de seis novos diáconos permanentes. A celebração acontece às 19h, na Catedral São José, em Macapá.

Em atenção aos decretos estaduais e municipais vigentes para a prevenção e contenção da transmissão do novo coronavírus, a celebração terá limite de pessoas, com o controle de acesso à Catedral reservado ao clero diocesano, familiares e outros convidados. A comunidade católica pode acompanhar a transmissão da missa através das redes sociais da Diocese de Macapá e pela Rádio São José 100.5 FM.

Os novos diáconos são oriundos de comunidades paroquiais de Macapá, Porto Grande e Santana. Em outubro de 2020 foram instituídos no Ministério de Leitor e Acólito pelo bispo diocesano.

Após o período de formação na escola diaconal diocesana e a instituição nos ministérios precedentes, os candidatos recebem o primeiro grau do sacramento da ordem para o exercício como diáconos permanentes na Igreja Local.

Dom Pedro com os seis candidatos ao diaconato após a instituição de ministérios em outubro | Foto: Willian Valério (Pascom)

De acordo com o Cerimonial dos Bispos, “os diáconos são ordenados pela imposição das mãos, gesto que vem desde os Apóstolos, a fim de realizarem o seu ministério de modo eficaz, fortalecidos com a graça sacramental. Assim, já desde o tempo dos Apóstolos, a Igreja católica teve em grande honra a sagrada Ordem do diaconado” (n° 173). O diaconato permanente foi recuperado na Igreja latina com o Concílio Vaticano II

Conheça os futuros diáconos

Antonio Saraiva se dedica há 26 anos atua nas atividades religiosas | Foto: Arquivo Pessoal

No próximo dia 11 de dezembro, Antônio Saraiva de Almeida completa 62 anos. Nascido em Águas Boas Monção (MA), é casado com Albertina Ribeiro Barbosa. É pai de quatro filhos: Anderson, Adriele, Luana e João Victor.  

Antonio Saraiva, como é conhecido, há 26 anos atua nas atividades religiosas, com destaque na Pastoral Litúrgica, Pastoral Familiar, Dízimo, Catequese de Criança e Adultos. Também como Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão, exercendo apostolado com visitas nas comunidades e hospitais.

Saraiva contou que o chamado à vocação diaconal se deu a partir da convivência e da celebração da Palavra em várias ocasiões. Segundo ele, isso “foi despertando no meu coração o servir como diácono”.

“De modo geral, quero ajudar a evangelizar as famílias, todos e todas que participam em nossas comunidades”, disse ele que pertence a Paróquia Nossa Senhora do Rosário, na Zona Norte de Macapá.

Fábio Wilker Rodrigues Cardoso é natural de Vigia (PA). Casado com Laurinete Cardoso tem dois filhos: Valmir Neto, de 17 anos, e Maria Laura de sete.

Fábio Cardoso | Foto: Arquivo pessoal

Segundo Fábio, há 10 anos é atuante nas atividades eclesiais, com destaque na música. Há seis é ministro extraordinário da Sagrada Comunhão e Exéquias.

Contou que seu chamado se deu pela oração com os irmãos de Grupo de Oração e aconselhamento espiritual com seu pároco, Padre Railson Carneiro, da Paróquia Santuário de Fátima em Macapá.

“[Padre Railson] contribuiu com seus conselhos para que eu perseverasse na caminhada. O chamado ao Ministério da Eucaristia fortaleceu em mim o desejo de servir cada vez mais à Deus através do diaconato”, disse.

Fábio afirmou ainda que deseja se dedicar “nas áreas que tocam mais no lado espiritual da comunidade,  nos círculos bíblicos, adorações, celebrações da Palavra, nas formações de Pais, Padrinhos e Madrinhas para o Batismo entre outras ações pastorais”.

Para ele, “ser diácono da Santa Mãe Igreja, é ser um servo de Cristo em busca da Salvação de almas, a começar pela minha, é fazer o novo na vida dos irmãos através da caridade e serviço próprio de um Diácono”.

Geovani Lima antes da celebração de instituição como acolito e leitor | Arquivo Pessoal

Geovani Fernandes de Lima, tem 46 anos, nasceu em Meruoca (CE) e é casado com Cidiane da Silva Sarmento, com quem tem uma única filha, Jessica Geovana. Mora em Porto Grande (AP), sede da Paróquia Nossa Senhora do Brasil Aparecida.

Segundo ele, desde os 16 anos participa das atividades da Igreja de forma ativa. Quando jovem, na Pastoral da Juventude e como catequista. Nos dias de hoje, junto com a esposa, se dedica à Pastoral Familiar.

Gionani afirmou que foi “ o Espírito Santo que colocou esse desejo em meu coração”. Com esta inspiração e com a orientação do pároco local, padre Benedito, ingressou no curso de Teologia Viva da Diocese.

Após a ordenação, deve continuar com os serviços nas pastorais que desenvolve como grupo de caridade, no serviço na celebração e no apoio aos idosos levando a comunhão.

Joelson Nascimento, o mais novo dos seis novos diáconos, 39 anos | Foto: Arquivo Pessoal

Joelson dos Santos Nascimento é o mais novo dos seis. Com 39 anos, é natural de Serra do Navio (AP). Casado com Carla Andréa Nascimento, tem dois filho, o Artur Gabriel e a Grazielly.

Sua porta de entrada nas atividades eclesiais foi o Encontro de Casais com Cristo, há cerca de oito anos. Desde então, colabora com a Pastoral Familiar, é Ministro Extraordinário da Comunhão e, mais recentemente, desenvolve trabalhos na Cáritas Diocesana.

Segundo ele, “com o engajamento cada vez mais intenso e com as atividades nas comunidades, vendo as necessidades das mesmas, senti o chamado para o exercício da caridade nelas, que é uma das principais missões do diácono”.

Joleson recebe a ordem para o serviço nas comunidades da Paroquial Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, em Santana (AP), dedicando-se a missão de trabalhar a diaconia da Liturgia, da Palavra e da Caridade.

Leonardo se dedica em várias atividades em sua comunidade paroquial, entre elas a de ministro da Sagrada Comunhão | Foto: Arquivo Pessoal

Aos 48 anos de idade, Leonardo Brum Toledo, da Paróquia São José, é nascido em Juiz de fora ( MG ) e casado com Francilene Costa do Nascimento Toledo. O casal não tem filhos.

De acordo com Leonardo, há 15 anos é ativo nas atividades da Igreja atuando como catequista de adultos, nos Círculos Bíblicos, Liturgia e mais recentemente como Ministro Extraordinário da Comunhão na Catedral.

“Meu chamado foi ao longo da minha vida, sentindo em meu coração como que uma brasa, um fogo de desejo em ser plenamente Consagrado ao Amor do Sagrado Coração de JESUS”, disse ele referindo à vocação diaconal.

Leonardo destacou que “após um período de busca e discernimento interior, não existindo nada mais importante e apaixonante, tive a certeza de suplicar ao SENHOR que perdoasse meus pecados e me aceitasse como seu servo, sua pertença e propriedade para o amar, adorar e louvar com todo meu ser”.

Segundo ele, “a vocação diaconal veio de forma inesperada, porém a recebi consciente de não ser digno de tal graça, mas confiando na misericórdia divina”.

Teodoro Paulo Oliveira da Costa dos seis novos diáconos é o único natural de Macapá | Foto: Arquivo Pessoal

Teodoro Paulo Oliveira da Costa, dos seis, é o único natural de Macapá, paroquiano do Santuário de Fátima. Tem 59 anos de idade e é casado com Aldaleia de Jesus da Costa. Pai com três filhos: Tani Pâmela, Júlio Vander, Amanda Thuani.

 Teodoro contou que foi através da participação da filha nas atividades da Igreja que se sentiu chamado a servir. “ Meu chamado começou com o acompanhamento da minha filha como coroinha. Quando ela se mudou para outro estado, resolvi seguir o seu legado”, explicou.

Segundo ele, “atendendo a um convite, entrei para a Pastoral da Liturgia. Com o tempo, fui ministro extraordinário da comunhão”. Com a dedicação aos serviços, seu pároco, padre Railson Carneiro, o indicou para o diaconato. Para Teodoro, o diaconato permanente “é uma grande oportunidade para incorporar mais o serviço à Igreja, especialmente na evangelização e caridade aos irmãos da comunidade”.

Comente

Seu email nao sera publicado. Campos marcados so obrigatorios *

*