Encontrão das Cebs: Roteiro do 5º Encontro “Missão, sentido do ser da Igreja-Povo de Deus – Portal de Notícias da Diocese de Macapá
Home » Notícias da Diocese » Encontrão das Cebs: Roteiro do 5º Encontro “Missão, sentido do ser da Igreja-Povo de Deus

Encontrão das Cebs: Roteiro do 5º Encontro “Missão, sentido do ser da Igreja-Povo de Deus

|Macapá (AP) | Por Pascom/Cebs

Neste domingo, 22, a Equipe de Serviço de Animação para as Comunidades Eclesiais de Base (Cebs) da Diocese de Macapá disponibiliza o 5º roteiro do Encontrão das Cebs 2020 celebrado em casa e nas bases paroquiais. No último encontro, a proposta é refletir à luz dos pilares da Palavra, Pão, Caridade e Ação Missionária a importância de despertar missionário de nossas comunidades.

Confira abaixo o material preparado.

::>> Acesse os roteiros já publicados | Leia a Mensagem de Dom Pedro para o Encontrão | Baixe aqui a cartilha completa com os encontros em PDF

O material completo está disponível em formato de cartilha impressa e pode ser adquirido gratuitamente na Secretaria do Centro Diocesano de Pastorais da Diocese de Macapá.

5º Encontro:

“MISSÃO: SENTIDO DO SER DA IGREJA; POVO DE DEUS”

Preparar o ambiente com: quatro pilares com os relativos nomes, entre os pilares colocar a Palavra “CEBs: Igreja/casa/lar”; como chão e telhado,a palavra “Missão”.

Animador/a: Sejamos todos/as bem vindos/as a esse nosso encontro em que refletiremos sobre aMissão da comunidade/igreja/casa/lar sustentada pelos quatrospilares: Palavra, Pão, Caridade, Ação missionária.

Na alegria do encontro, invocamos a Trindade Santa:Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Cantemos: “É Missão de Todos Nós”(do Zé Vicente)

O Deus que me criou me quis, me consagrou para anunciar o seu amor

Eu sou como a chuva em terra seca, pra saciar, fazer brotar. Eu vivo para amar e pra servir!

É missão de todos nós; Deus chama, eu quero ouvir a sua voz!

O Deus que me criou me quis, me consagrou

Para anunciar o seu amor

Eu sou como a flor por sobre o muro
Eu tenho mel, sabor do céu, eu vivo pra amar e pra servir.

É missão de todos nós, Deus chama, eu quero ouvir a sua voz!

O Deus que me criou me quis, me consagrou
Para anunciar o seu amor

Eu sou como estrela em noite escura, eu levo a luz, sigo a Jesus
Eu vivo pra amar e pra servir!

É missão de todos nós, Deus chama, eu quero ouvir a sua voz!

O Deus que me criou me quis, me consagrou
Para anunciar o seu amor

Eu sou como abelha na colmeia, eu vou voar, vou trabalhar
Eu vivo pra amar e pra servir!

É missão de todos nós, Deus chama, eu quero ouvir a sua voz!

O Deus que me criou me quis, me consagrou
Para anunciar o seu amor

Eu sou, sou profeta da verdade, canto a justiça e a liberdade
Eu vivo para amar e pra servir!

É missão de todos nós, Deus chama, eu quero ouvir a sua voz!

Comentarista:Dizem os nossos bispos nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora nos números de 5-7:5. CASA significa: Criar lar, família; casas de comunhão. É criar laços que se constroem com gestos simples, diários e que todos podem realizar. 6.É proximidade relacional entre as pessoas; necessidade da Igreja se fazer presente nos locais onde as pessoas vivem. 7. Essa casa é a comunidade eclesial missionária: de portas abertas que acolhem e portas abertas para sair em missão. Comunidade e missão são como dois lados da mesma moeda: A comunidade eclesial autêntica é, necessariamente, missionária e toda missão se alicerça na vida de comunidade.

Leitor/a1:A Missão é anúncio que se traduz em palavras e gestos. Jesus não confiou uma tarefa aos seguidores, mas uma identidade. A missão tem origem divina, realizada por Cristo e continuada pelo Espírito Santo, como protagonista (sujeito) e alma da Igreja evangelizadora (DGAE nos1;21-22).

Leitor/a 2. É desafiador o envolver-se com as compreensões mais profundas a respeito da vida, de Deus, do ser humano, da família e de toda a realidade, a fim de interagir com ela em vista do crescimento do Reino de Deus. As grandes cidades refletem com mais rapidez o que acontece em todo mundo (DGAE nos43-45).

 Leitor/a 3. As pequenas comunidades eclesiais missionárias são sinal concreto de conversão pastoral. Ali os leigos e as leigas podem viver sua vocação, em comunhão e solidariedade; têm ocasião de se envolver no processo de Iniciação à Vida Cristã e participar de formação sólida, integral e permanente. “Sinodalidade” significa comprometimento e participação de todo Povo de Deus na vida e missão da Igreja (DGAE nos236-240).

Leitor/a 4. A meta de toda ação evangelizadora e pastoral é a salvação da pessoa, da humanidade e do cosmo (Rm.8,20-22). Salvação entendida de maneira integral “da alma, do corpo e da criação”. É a participação na obra de Cristo que veio salvar e conduzir todos à casa do Pai.

A Comunidade eclesial reúne um povo peregrino à caminho do Reino definitivo, o Reino de Deus, a pátria da Trindade.

A Igreja é mãe de coração aberto, casa aberta do Pai, que conclama a todos para reunirem-se na fraternidade, acolher a Palavra, celebrar os sacramentos e sair em missão através do testemunho, a solidariedade e o claro anúncio da pessoa e da mensagem de Jesus Cristo.

Leitor/a 5. O Papa Francisco nos lembra: “A comunidade, que guarda os pequenos detalhes do amor, e na qual os membros cuidam uns dos outros e formam um espaço aberto e evangelizador, é lugar da presença do Ressuscitado que a vai santificando segundo o projeto do Pai”.

Animador/a:Antes de refletir sobre as orientações da nossa Assembleia, cantemos para deixar ressoar no coração o convite que Deus nos faz: “A fé é compromisso”.

A fé é compromisso que é preciso repartir em terras bem distantes ou em nosso próprio lar.

Nós somos missionários; eis a nossa vocação. Jesus convida a todos, ai de mim se eu me calar.

Nesta mesa, ó Senhor, apresentamos, pão e vinho dons da terra e do trabalho. Pela Igreja missionária vos louvamos, vede a messe que precisa de operários.

Há muitos consagrados anunciando sem temer e tantos perseguidos dando avida pela fé.

Mas quem faz de sua vida um sinal de comunhão, também dá testemunho, nos convida à conversão.

Animador/a:A nossa Diocese em Assembleia apontou caminhos para:“a igreja/casa, Comunidades Eclesiais Missionárias” e para“ser comunidades eclesiais missionárias”. Escutemos de coração aberto, que acolhe:

Leitor/a 1- Para a igreja/casa, Comunidades Eclesiais Missionárias, apontou.

  1. Sermos comunidades acolhedoras atendendo as necessidades desafiadoras das famílias e da sociedade;
  2. Dar ênfase à revitalização de pequenas comunidades;
  3. As pastorais, movimentos eclesiais, novas comunidades, organismos e grupos trabalhem em conjunto, fortalecendo os instrumentos de comunhão eclesial e participação.

Leitor/a 2- Para “ser comunidades eclesiais missionárias”, apontou:

  1. Oferecer serviços formativos diocesanos descentralizados, paroquiais e comunitários, através de multiplicadores com atenção às especificidades de cada necessidade.
  2. Visitar e conhecer as mais variadas realidades extremas e de exclusão, especialmente as famílias.
  3. Realizar censo paroquial para conhecimento da própria realidade.
  4. Despertar e fortalecer a identidade missionária do batizado e da comunidade na sua relação com a Santíssima Trindade, cuidando do envolvimento com os desafios da realidade, a valorização da dignidade das pessoas, a compaixão com seus sofrimentos e a defesa de direitos políticos, econômicos e sociais, com atenção na missão ad gentes e o cuidado com a casa comum.

Comentarista: As propostas são muitas e se constituem em desafios: o primeiro é tomarmos consciência das decisões da Assembleia; o outro é encontrar modalidade de aplicação na nossa realidade concreta; o outro, ainda, é superar a ideia que ser Igreja corresponde ao “participar das celebrações”, etc… Desafios que favorecem o nosso ser Igreja, nos tornam corresponsáveis com a sua missão: favorecer o nosso crescer em Cristo; ser testemunha dele no compromisso com a construção de um mundo justo, fraterno, de possibilidade de vida, inclusa a defesa do Planeta.

Animador/a:Com a confiança de que o apoio de Deus não nos faltará e nos comprometendo com o nosso “ser Igreja”, cantemos:

AGORA É TEMPO DE SER IGREJA

Agora é tempo de ser Igreja, Caminhar juntos, participar.

  1. Somos povo escolhido e na fronte assinalados. Com o nome do Senhor, que caminha ao nosso lado.
  2. Somos povo em missão, já é tempo de partir, É o Senhor que nos envia, em seu nome a servir.
  3. Somos povo esperança, vamos juntos planejar, ser Igreja a serviço, e a fé testemunhar.
  4. Somos povo a caminho, construindo em mutirão. Nova terra, novo reino, de fraterna comunhão.

Animador/a:A Assembleia alertou, ainda, que para fazer frente a isso, torna-se necessário “fortalecer os mecanismos de participação” nas várias instâncias eclesiais com:

  1. A Criação e o fortalecimento de Assembleias e Conselhos comunitários, paroquiais, de vicariatos e diocesano, favorecendo a formação das lideranças, fomentando a Sinodalidade (o crescer junto na reflexão, na tomada de decisões, na realização e avaliação) para atuação no processo evangelizador-missionário.
  2. Criar mecanismos para a participação mais efetiva do povo, melhorando a atenção e a escuta, favorecendo possibilidades para decisões coletivas.
  3. Favorecer a rotatividade dos coordenadores de grupos, comunidades, movimentos e pastorais, que são os representantes nos conselhos.

Comentarista: Podemos partilhar as coisas que consideramos mais importantes… e em quais pontos somos chamados a crescer…

Tínhamos pensado alguma vez que “ser Igreja” implicava em tudo isso? (conversas espontâneas que digam o nosso compromisso…).

Animador/a:O caminho é desafiador, mas contamos com a força de Deus e a luz do seu Espírito. Para termos a força em assumir esse Jeito bonito de ser Igreja, rezemos com as palavras que o Senhor Jesus nos ensinou: Pai nosso…

Invoquemos também Maria, a mulher que acolheu o desafio de dar a luz e orientar Jesus, no caminho de Deus, cantando: “Pelas estradas da vida”.

Pelas estradas da vida, nunca sozinho estás
Contigo pelo caminho, Santa Maria vai.

Ó vem conosco, vem caminhar, Santa Maria vem (2 vezes);
Se pelo mundo os homens, sem conhecer-se vão
Não negues nunca a tua mão, a quem te encontrar

Mesmo que digam os homens, tu nada podes mudar
Luta por um mundo novo,  de unidade e paz.

Se parecer tua vida, Inútil caminhar
Lembra que abres caminho, outros te seguirão.

Somos povo de Deus a caminho em processo de nos construirmos Igreja: comunidade/casa/lar… E realizar a missão que Deus nos confiou: a construção do Reino da vida.

“Pecador, sofredor, também, todo pobre é bem vindo aqui!”.

Comente

Seu email nao sera publicado. Campos marcados so obrigatorios *

*